Prefeito Leonardo Rêgo afirma que parte dos salários de dezembro estão atrasados porque gestão anterior priorizou pagamento de alguns fornecedores em detrimento dos servidores.

"A gestão passada faltou com a verdade formalmente", foi o que afirmou o prefeito Leonardo Rêgo (DEM), na manhã desta quarta-feira (04), a respeito de uma nota que foi divulgada pela assessoria de comunicação da gestão anterior, no dia 30 de dezembro, garantindo que os recursos para o pagamento dos servidores públicos haviam sido devidamente repassados para a Caixa Econômica Federal.

Acontece que, dias depois, constatou-se que apenas uma parte dos funcionários haviam sacado os seus respectivos vencimentos, ficando uma parcela significativa sem o pagamento do mês de dezembro, algo bastante indigesto para um fim de ano.

Através de sua página oficial no facebook, Leonardo Rêgo explicou que, na verdade, a folha de pagamento dos servidores não foi paga em sua totalidade devido a existência de uma deficiência financeira de aproximadamente R$ 410 mil reais, segundo o gestor pau-ferrense, algo que teria sido confirmado, através de ofícios, pelas ex-secretárias de Administração e Finanças do governo anterior.

O prefeito Leonardo disse ainda que o ex-gestor (Fabrício Torquato) preferiu utilizar o dinheiro da repatriação para pagar débitos com apenas cinco fornecedores (entre estes um posto de combustível) em detrimento do funcionalismo público, um fato que, indubitavelmente, "joga por terra" a imagem criada pela administração passada de "zelo total" quanto aos interesses dos servidores públicos.

Todavia, o Chefe do Executivo informou que ainda nesta quarta-feira será reenviado um arquivo para a Caixa Econômica Federal referente à folha de pagamento, para que os funcionários efetivos do município recebam os seus vencimentos até a próxima sexta-feira (06).

O gestor municipal esclareceu também que quanto ao pagamento dos servidores vinculados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB) se faz necessário que a Prefeitura efetue um complemento financeiro, algo que só será possível com a disponibilização das senhas por parte das instituições bancárias (Banco do Brasil e Caixa Econômica). Portanto, ainda não há uma definição com relação a uma data específica. 

Por fim, Leonardo Rêgo deixou claro que, posteriormente, serão tomadas as devidas providências para que os responsáveis por esta negligência sejam responsabilizados perante o Poder Judiciário.